terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Esquerda e Direita, Direitos e Deveres



Sim, temos mais com o que nos preocuparmos. Em todo caso: O desembarque da blogueira (já virou profissão mesmo, né?) cubana Yoani Sánchez (foto) no Brasil rendeu matérias em jornais, revistas e internet. Sem contar os acalorados debates entre os 'de direita' e os 'de esquerda' (como se fosse possível definir tais lados no Brasil de hoje). É óbvio que qualquer pessoa que se preste a criticar e denunciar uma ditadura merece aplausos. Até acredito nas boas intenções da moça ao começar um blog para falar das coisas de seu país, de seu povo. Porém, transformada em 'entidade pop' com direito a turnê e tudo, muito da beleza em torno das bandeiras levantadas por Yoani cai por terra (ao menos quando associadas a ela).

A cubana hoje me soa, tão somente, como uma peça em mais uma investida do Tio Sam contra o regime ditatorial cubano. Sem esquecer que passam longe da Casa Branca preocupações com o povo cubano, sua liberdade de expressão e bem estar. Pra turma do Obama, se trata apenas de impor sua vontade e seus interesses. Em tempos de internet, transformar uma blogueira num ícone da luta contra o governo dos Castro não é muito diferente da atuação norte-americana no Brasil durante o golpe militar de 1964, quando o mesmo Tio Sam financiou e garantiu poderio militar aos articuladores do golpe que mandou, o então presidente, João Goulart pra longe da presidência. O mesmo Tio Sam que, inclusive, parece compactuar com regimes, digamos, pouco democráticos em outras partes do mundo. Atendendo a seus interesses, tá tudo certo!

Toda a discussão me soa desnecessária, visto que temos mais com o que nos preocupar, sem dúvidas. Mesmo achando cruel demais ter de ficar em cima do muro; entre defender uma ditadura (nunca!) ou um governo que atenda aos caprichos da Casa Branca (de fato, se um dia os Castro deixarem o poder é o que acontecerá a Cuba). E ao que me parece a questão é justamente essa: quando damos um voto de confiança à Yoani Sánchez estamos ajudando a levantar uma bandeira contra a ditadura cubana ou reforçando ideais norte-americanos travestidos de luta por 'liberdade'? Nenhuma das opções me soam razoáveis.

Rafael A.


Recomendamos! Documentário sobre a atuação norte-americana no golpe de 1964:

foto Yoani Sánchez: aBr 

Nenhum comentário:

Leia também: