segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Niterói e Sua Incrível Capacidade de Afastar as Pessoas



Obrigado Niterói! O cenário de um de nossos Test Drives de Buteco desapareceu! Assim, quase sem que nos déssemos conta. Varrido do mapa. Apagado. Estou falando da clássica Rua São João. Antro de todo tipo de criaturas possíveis e imagináveis, o lado B das madrugadas. O Centro de Niterói perdeu talvez seu último reduto boêmio, cenário perfeito para histórias, causos e contos. E como acaba acontecendo com tudo que é bom em Niterói: a Rua São João também morreu.

Mas calma aí!”, você vai dizer. “Os bares da calçada da direita continuam lá!” Tudo bem, eles estão lá. Mas nada trará de volta a atmosfera suja, quase (?) marginal, das madrugadas que se misturava aos populares, putas, travestis e desocupados do outro lado da rua. Ali mesmo onde ficava o antigo Bar 11 (foto). Eram dois bares na verdade, colados, mas nunca lembro ao certo qual era qual. Lembro sim, das madrugadas solitárias com fones de ouvido enfiados até os tímpanos. Lembro da companhia da cerveja mais barata do Centro da cidade. Indo (ou não) ou vindo (ou não) de qualquer lugar, ali era parada obrigatória! Fosse num fim de tarde de uma terça-feira, depois de um dia cansativo, ou numa manhã de domingo após uma noite de cerveja: a saideira era lá. Vinte e quatro horas (ou quase) à disposição do cliente.

Só me dei conta de fato do que a cidade havia perdido ao passar pela Rua durante a última semana, na parte da tarde. Num horário onde o povo começava a se amontoar na porta dos bares, mais pro final do expediente, o que se via era um cenário diferente, triste. Nada que não tivesse sido anunciado, verdade seja dita. As constantes reclamações dos moradores do prédio em cima dos bares e um ou outro artefato jogado das janelas na direção dos clientes dava pistas de que um dia tudo quilo poderia acabar. Hoje, nada de mesas na calçada e na beira da rua, viciados nos caça-níqueis ou garotas indo pra mais uma noite de trabalho... Lojas, um restaurante e um banco de empréstimos soterraram o último resquício de charme genuíno das noites do Centro de Niterói.

Fosse na paz inabalável da madrugadas de inverno, no caos das noites de sexta, nas figuras sombrias sob as marquises ou num ou outro disparo ocasional (ou não) que quebrasse momentaneamente a paz do lugar, a Rua São João acolhia a qualquer um, a qualquer hora (aliás, o frango a passarinho era imbatível). E mesmo que um ou outro boteco tenha sobrevivido, a magia se foi. Obrigado por mais esse presente, Niterói.

Rafael A.

foto: Rafael A. / Latitude Zero Prod. (Test Drive de Buteco naSão João)   

Um comentário:

FRANZ disse...

ÓTIMO TEXTO!

NITERÓI TA PERDIDO...

Leia também: