sexta-feira, 21 de junho de 2013

Curas, Saídas e Chamados


Há caminhos para uma vida rica, desafiadora e enriquecedora. Há a possibilidade de se aceitar e vivenciar a crença e a descrença de forma plena. Aceitando as chances de erro e de engano por pura ingenuidade. Como um gol que se perde por puro preciosismo. Ou quem sabe caminhar entre as tais crenças e descrenças aceitando ambas. Vivendo cada uma da forma mais simples e pura possível... Porém, há quem escolha o caminho mais sofrido, mais cruel e hipócrita. Não, quase nunca tem a ver com fé. A crença e a fé podem se distanciar drasticamente quando aceitamos verdades, constatações sóbrias a respeito do que tememos ser frágil. E se, no fundo, sabemos da fragilidade das coisas a nossa volta (me refiro às reais... e às irreais também). Porque não aceitar navegar entre dúvidas e possibilidades? Por que excluir opções e abraçar a saída mais covarde, mais simples e notadamente falha? … Ninguém precisa confessar, ofertar ou abdicar de sua vida em benefício de causa alheia. Entendendo todos como iguais, se vai a predileção, ou eleição, ou seja lá o que for. Sobram pessoas. Igualmente frágeis, falhas e amedrontadas. O que sobra, o troco, é pura maldade. Se entregar por medo, ingenuidade ou vaidade é patético demais pra qualquer um de nós.

Rafael A.

Nenhum comentário:

Leia também: