quarta-feira, 31 de julho de 2013

MxPx no Rio de Janeiro em outubro


A banda norte americana MxPx (foto) vem ao Brasil e faz show na Cidade Maravilhosa dia 10 de outubro! A banda se apresenta no Circo Voador, com abertura da banda carioca Zander a partir das 20h. As duas bandas participam da edição deste ano do Wros Fest. ao lado de nomes como Hot Water Music, Pulley e outras em São Paulo entre os dias 12 e 13/10. O show do Circo Voador, dia 10/10, tem ingressos entre R$65 e R$130. O Circo Voador fica na Rua dos Arcos, s/n, Lapa, Rio de Janeiro/RJ. Informações no link.

Rafael A.

foto: divulgação

terça-feira, 30 de julho de 2013

Valença em Questão #48


Valença em Questão #48
(8 págs., jornal, tabloide, pb)

Recebemos o Valença em Questão (foto: logotipo) durante nossa passagem pelo Sarau Solidões Coletivas, no município da Região Sul Fluminense que dá nome à publicação! Tabloide com diagramação impecável! Nesta edição o tema central são as políticas de comunicação. Há ainda espaços para poesia, HQ`s e cinema! Publicações independentes, impressas e surgindo de tudo quanto é canto! A ideia é justamente essa! Aí embaixo vão só contatos com o pessoal do Valença em questão. Façam contato! Troque, materiais! Troquem ideias!

Rafael A.

Contatos com o Valença em Questão no link.

domingo, 28 de julho de 2013

Segundo dia do Next Generation Fest. rola hoje em SP


Hoje é dia de atrações internacionais em São Paulo! Logo mais acontece no Espaço das Américas, em Sampa, o segundo dia da terceira edição do Next Generation Fest., evento que reúne os nomes de maior sucesso entre o público 'Pop Rock Teen'. A partir das 16:30h se apresentam 3OH!3 (foto), All Time Low, Breathe Carolina e Rocky Loves Emily! Os portões abrem às 14h. E o Espaço das Américas fica na Rua Tagipuru, 795, Barra Funda, São Paulo/SP. Ingressos a R$90.

Rafael A. 

sexta-feira, 26 de julho de 2013

Amanhã é dia de festival em Sampa


O público adolescente tem encontro marcado em São Paulo amanhã! Começa no Espaço das Américas a terceira edição do Next Generation Fest. O evento apresenta, ao longo de dois dias shows com as revelações do cenário 'Pop Rock Teen' internacional! As atrações de amanhã são All Time Low (foto), 3OH!3, Young Guns e There For Tomorrow. O Espaço das Américas fica na Rua Tagipuru, 795, Barra Funda, São Paulo/SP. Ingressos entre R$90 e R$160 (válido para os dois dias de evento) e shows a partir das 17h.

Rafael A.

quarta-feira, 24 de julho de 2013

Entrevista :: Inércia (Box Alternativo)



Tocar em lugares distantes, com equipamento precário, passar noites em claro, sem saber se onde você e sua banda vão tocar, terá uma quantidade de público regular. Qual banda não passou por essas e outras ditas 'furadas', durante o percalço de sua existência? Agora imagine uma banda que próximo a completar 16 anos de existência, ainda tenha fôlego para subir num palco e mostrar a que veio? O Inércia (foto) é uma dessas poucas bandas, que continua na batalha, mostrando seu Punk/HC. Formada por João Luiz (vocal), Rafael A. (guitarra), Fabiano Camelo (baixo) e Felipe Ninja (bateria) - este último, o mais novo integrante - estão divulgando desde o ano passado a coletânea Manifesto, que reúne as 2 demos da banda. O Box Alternativo foi conversar com a galera da banda, e foi saber das novidades, dentre elas um novo CD mais trabalhado.


FMZ_ONLINE: Como você define nesses 15 anos o Inércia, na cena Hardcore nacional?

João Luiz: Quando o Inércia foi montado em 1997 e surgiu fazendo shows em 1999, eu João, ainda estava muito focado no HC/Punk da década de 80, e no final dos anos 90, não surgiu tanta banda que me empolgasse, muitas deixaram de lado as letras de protesto e consciência, para só manter o som agressivo. salvo as banda SP, que ainda mantinham essa linha, no geral não se importavam tanto, então nós do Inércia, queríamos resgatar isso, e inspirados em Cólera, Restos de Nada, Olho Seco e Inocentes começamos o que outras bandas de SG pararam, bandas como Perseguidor e Reforma Protestante, e fui me envolvendo mais, bandas foram surgindo e fomos conhecendo as bandas cariocas melhor, que eram solidárias nas letras de protesto, e bandas do Recife como Devotos do Ódio, hoje só Devotos, bandas de Norte à Sul do Brasil, estavam resgatando o Punk consciente, e isso empolga bastante, então apesar dos altos e baixos o HC sempre se manteve onde sempre esteve, no underground.

Rafael A.: Considero o Inércia um nome importante no cenário Punk Rock Fluminense. Entrei na banda fazem poucos anos. Então, tive a oportunidade de ver shows, entrevistar os caras pro fanzine e acompanhar boa parte da história da banda de fora, como expectador. É bacana uma banda com essa longevidade no cenário do Rio de Janeiro. Assim como outros nomes importantes: Protesto Suburbano, Repressão Social, Lacrau, Kaos Urbano, enfim. São bandas que, de alguma forma, acabam virando referência pelo tempo de estrada. Quanto cenário de uma forma geral? O RJ sempre teve um potencial incrível. Infelizmente, esse potencial nunca foi explorado como, na minha opinião, deveria (ou poderia). De qualquer forma, ainda vejo caminhos possíveis para a cena do RJ, sim. Tanto pela galera das antigas, como citei, quanto pela novas gerações. Apesar dos problemas, o cenário daqui conseguiu se renovar de alguma forma e gente nova apareceu. Logo, é como se tivéssemos mais uma chance de 'acertar os ponteiros'...

Fabiano: No período de 15 anos aconteceram muitas coisas positivas e produtivas para a cena Punk/HC. Boas bandas surgiram, bandas renomadas do exterior aportaram em terras brasileiras com mais frequência e o underground está mais "presente" na interatividade entre bandas de estados diferentes... o Hardcore não ficou em estado de Inércia..rsrsrs

Felipe Ninja: Em quinze anos muita coisa mudou; a forma de protestar mudou, a forma como conhecíamos as bandas e corríamos atras das novidades mudou. A internet aproximou e afastou as pessoas ao mesmo tempo e a nossa cena também sofreu suas mudanças. Apesar de hoje termos acesso mais fácil a bandas novas, eu venho notando que infelizmente, muita gente se acomodou e não sai mais para assistir os shows como ocorria antigamente.


FMZ_ONLINE: Fale um pouco sobre a trajetória do inércia?

João Luiz: No começo, eram Thiago (batera), Homem de Pedra (baixo), veio o Miguel na guitarra e o vocal ainda iria se firmar, pois eu entrei por último, mas fui quem acabou se adaptando melhor ao material que eles já tinham, músicas gravadas em violão e voz por Thiago, que fui escutando e adaptando ao meu estilo de vocal.

Então, começaram os primeiros ensaios, no 2º andar do prédio onde Thiago morava, sempre por volta das 15h, isso uma vez por semana, e dali com músicas já prontas, surgiam mais durante esses ensaios, onde conseguimos montar um repertório e antes mesmo de fazermos um show, resolvemos gravar as músicas, num CD e distribuir em K7, que se chamou Sem Futuro.

No dia 19/01/1999, acontece o primeiro show num salão ao lado do Colégio Castelo Branco em SG, antes da gente, lembro que se apresentou uma banda fazendo covers de Garotos Podres e outras bandas, empolgaram um pouco, e por volta de 21h a gente sobe ao palco, só com a fitinha demo no currículo, fizemos um show energizante, houve até uma galera gritando o nome da banda, cara esse dia marcou!

Em 2001 o Thiago sai da banda, a gente chama o Charles (Fogo Fátuo) para nos acompanhar, em alguns shows, depois vem uma boa fase com Bozo (Lombrigas Cabeludas) na batera, mas não conseguimos gravar nada novo até 2005, que na formação, eram Homem de Pedra, eu Zuzinha e Mini Kurt, gravamos o CD demo Sem preço para a Liberdade! e mais uma vez problemas surgem e essa formação se desfaz em 2009, fazendo alguns shows esporádicos, retornamos mesmo com força total em 2012, na formação certa, Rafael A. (guitarra), Fabiano (baixo), eu vocal e Rodrigo (Michael J. Fox) na batera, mas por força do trabalho este tem que sair, então um amigo da banda Kaos Urbano, o Charuto, vem quebrar o galho e fica por um tempo, mas devido a distância - o cara mora em Sepetiba - acabou saindo. E por grande sorte, pois penamos pra achar um batera, surge o Felipe Ninja quebrando tudo e melhorando em muito a performance da banda, já pretendemos gravar algo novo,

Rafael A.: Como disse, tive a oportunidade de conhecer a banda há muito tempo. Mesmo antes de fazer parte do Inércia já tinha a noção de que se tratava de um nome querido pelo pessoal do cenário do Rio. Nos últimos anos acabamos perdendo um pouco de tempo com troca de bateras, gente que passou pela banda mas que não estava em sintonia com o que queríamos fazer com o Inércia. Por outro lado, foi bom ter tempo não só pra galera dessa formação se conhecer, mas também para estruturar a coisa. Me refiro ao trabalho com redes sociais, ter uma página onde o pessoal possa encontrar tudo relacionado à banda, enfim. Apesar de ser um nome conhecido na cena Punk do RJ, ainda faltava organizar toda essa parte de 'bastidores'. E mesmo assim acho que fizemos coisas bem bacanas nessa fase mais recente: o show de aniversário do ano passado no Metallica Pub foi incrível, tocar com DZK, Protesto Suburbano e passar por lugares como a Casa da Colina em São Pedro D`Aldeia/RJ foi importante pra deixar claro que a banda estava viva!

Fabiano: Eu estou na banda há pouco mais de um ano, mas conheço a banda desde os primórdios e representou muito bem a vertente Punk Rock no cenário Fluminense, apesar de sentir falta do shows dos caras em um período da década passada.

Felipe Ninja: Acabei de chegar, mas sempre lembrava do Inércia como uma banda de Punk Rock da minha cidade, antes mesmo de eu sequer sonhar com a ideia de que eu um dia tocaria com eles. Conhecia de assistir show, de tocar nos mesmos eventos de vez em quando (alguma edição do Cai Torto? O mais provável) e hoje me vejo na banda.


FMZ_ONLINE: E o novo batera? Vocês já se conheciam?

João Luiz: Bom, eu já tinha visto o Felipe em alguns shows, mas eu não o conhecia direito, depois do primeiro ensaio, foi como já se conhecesse há muito tempo, confesso que as bandas em que ele tocou, eu não cheguei a ver nenhum show, mas o Rafael A. e o Fabiano já o conheciam, e com bom antecedentes o resultado saiu melhor do que o esperado. Agora, é mantermos fixo o ideal e seguir em frente fazendo o que a gente sabe fazer melhor.

Rafael A.: Sim, de longa data! O Felipe Ninja é das antigas. Lembro de dividir o palco com ele. Eu numa antiga banda e ele com a banda Sem Nome, se não me engano... Nos encontrávamos em shows lá pelos idos de 2000, 2002. Acabamos nos reencontrando em outro projeto e, acho que no mesmo dia, já estávamos falando sobre ele tocar no Inércia. Excelente baterista, deu um gás e tanto pra gente. Fizemos uma primeira apresentação com ele dia 25/05 no Rock na Garagem e o cara arrebentou! Todo mundo que viu teve a mesma sensação que nós: que havíamos encontrado o batera certo pra ficar na banda!

Fabiano: Eu estudei na mesma escola do Felipe Ninja, mas nessa época eu nem sabia tocar nada e também não sabia que ele tocava bateria. Descobri que ele tocava bateria quando vi a apresentação da banda de uns amigos, o extinto HidroCarboneto.

Felipe Ninja: Eu já conhecia o Fabiano por termos estudado mais ou menos na mesma época no Henrique Laje e também sempre esbarrava com ele nos shows e por causa dos amigos em comum: ele tocando no Michael J Fox e eu no HidroCarboneto na época. Fora as frequentes esbarradas em shows de Hardcore por aí... e o mesmo com o Rafael, que eu conhecia já de vista da época do Nauzia. João sempre foi a carta marcada do Inércia.


FMZ_ONLINE: Quantos CDs lançados? E coletâneas? Fale um pouco de cada um.

João Luiz: CDs oficiais são 2. Coletâneas, a primeira foi Expresso HC vol 2, junto com o pessoal do Protesto Suburbano, depois Punk RJ II, com várias bandas cariocas, este foi produzido pelo Ivan do Sub-Atitude. As coletâneas PATCH!, produzidas pelo Feira Moderna Zine e a mais recente foi a Old School produzido pelo pessoal do Velho Rabugento. Também estamos em alguns DVDs, que foram lançados na segunda fase da banda que são Noise Fest em Itaboraí e um produzido pelo Billy do Regime Obrigatório, chamado DVD Rio Punk.

Rafael A.: A primeira demo é a Sem Futuro, de 1998. Depois veio a Sem Preço Para a Liberdade, de 2005. E, finalmente, ano passado durante o show de quinze anos lançamos a coletânea Manifesto, que reúne as duas demos com a música “Ódio” que não havia sido lançada em lugar nenhum. Quanto a coletâneas, conforme o João colocou aí em cima, rolam algumas por aí. Me arrisco a dizer que devemos estar em mais lugares do que imaginamos, ainda mais com o advento das coletâneas virtuais, enfim... Mas acho que as mais importantes são a Punk RJ Vol.2, Expresso HC e a Old School, do selo Velho Rabugento Records.


FMZ_ONLINE: O Hardcore ainda faz as pessoas pensarem e avaliarem sobre a situação sócio política do país. Ainda é uma forma de protesto musical?

João Luiz: Acho que sim, pois sempre tenho visto rostos novos nos shows do Inércia, e de outras bandas que fazem outro tipo de HC, mas tem letras conscientes e para o meio underground, é sempre bom ver gente nova e enchendo os shows, cantando junto, isso empolga e você vê que os jovens pensam a mesma coisa, mas infelizmente somos só uma agulha cutucando a ferida do gigante, precisamos mesmo é de uma espada para atravessar o coração da corrupção neste país.

Rafael A.: Creio que vá além disso. É algo que muda não só sua relação com o Estado e a sociedade à sua volta, mas muda sua relação consigo mesmo. O que Orwell e Kafka fizeram comigo na minha adolescência não teria o peso que tem hoje pra mim se não fossem nomes como Bad Religion, Plebe Rude, Cólera, Dead Kennedys e outros. Através desses caras descobri uma forma de externar muito do que os caras que eu lia me faziam refletir a respeito. O Punk Rock, Hardcore ou seja lá o que for tem influência direta e fundamental no cidadão que me tornei. Sendo assim, se viraram minha vida e visão de mundo do avesso, tenho certeza que podem continuar fazendo isso com a garotada mais nova. Influenciar, mesmo que indiretamente, a sociedade e seus rumos é consequência do que obras como a desses caras que citei, e outros, são capazes de fazer na vida de cada um.

Fabiano: Antigamente isso era mais intenso, mas com certeza o Hardcore sempre será uma forma de protestar, expor as mazelas sociais e exclamar alguma ideia em prol de uma sociedade mais digna.

Felipe Ninja: Sim, o Hardcore ainda faz, assim como faz outras coisas também. Há muito tempo que o Hardcore deixou de ser apenas uma forma de protesto ou de avaliação da nossa situação politica e se tornou a forma como muita gente consegue se expressar, falar do que se passa dentro da própria cabeça e do coração... o Hardcore é um grito da alma, seja ele qual motivo for.


FMZ_ONLINE: E como você vê esse lance de uma banda poder divulgar seu trabalho em redes sociais, mp3, etc...? Até onde isso contribui ou não para uma banda?

João Luiz: Acho ótimo, pois temos que aproveitar a tecnologia para nos divulgarmos, senão seremos só locais, e com essa facilidade melhora pra bandas em geral.

Rafael A.: Acredito que essas novas ferramentas são, sim, muito importantes (hoje em dia, fundamentais). Obviamente, elas mudaram a relação do fã com a música e a arte em geral. A galera mais nova não vê, ou se relaciona, com o trabalho de uma banda independente, da mesma forma que nós, por exemplo, lá nos anos noventa. Talvez pelo fato de ser mais simples ter acesso aos materiais, ou porque as pessoas (e o mundo) realmente mudaram muito de lá pra cá.

Seja como for, creio que o impacto maior seja sentido a partir do momento e que uma banda opta por um caminho mais profissional, digamos. Não há mais como contar com venda de CDs, demos, ou seja lá o que for. Logo, outras formas de tornar o trabalho financeiramente viável tem de ser pensadas. Por outro lado, é claro que substituir a velha e demorada troca de correspondências, gravar k7s pra trocar com gente de outro canto do país e tudo o mais por um apertar de botão facilita e muito as coisas...

Estava pensando nisso por esses dias (com a idade a gente começa a pensar em muita coisa...rsrsrsrs): pra garotada mais nova parece ser um relação bem tranquila. Talvez nós, a galera mais cascuda é que tenhamos de pensar um jeito de transmitir o sentimento e o carinho que tínhamos pela música pra eles de uma outra forma. O adolescente hoje dificilmente vai ter a mesma relação que nós com uma demo, disco ou CD. Simplesmente porque ele não camuflou a grana em papel carbono na carta, não esperou semanas, desistiu, escreveu de novo (e de novo) pra, meses depois, receber uma demo ou fanzine em casa...rsrsrs E isso é bem fácil de perceber. Fica claro que ainda tem uma garotada tão tarada por música e cultura underground quanto nós. Só a forma de lidar com isso que é bem diferente. Cabe a nós, os mais 'coroas' pensarmos em mameiras de fazer com que alguns valores não se percam.

E que fique claro que não tenho a pretensão ensinar nada a ninguém. É apenas a visão de um sujeito, como tantos por aí, que acompanha e se envolve com o under há algum tempo.

Fabiano: Isso é muito benéfico para as bandas e a cena. A internet contribuiu muito para as bandas divulgarem seus trabalhos, contactarem bandas de locais distantes, divulgar eventos. Por isso, hoje é muito mais fácil montar uma banda, veicular zines, organizar shows e até mesmo gravar os trabalhos em casa do que há 15 anos atrás. Ainda assim a fitinha k7 e os zines enviados por cartas terão seu valor, pelo menos para mim.

Felipe Ninja: Isso pode ser produtivo e positivo pra banda desde que seja feito da forma certa. A música sendo lançada em redes sociais alcança um publico muito grande e quanto mais pessoas ouvirem o seu material, mais elas tendem a repassar a informação pra outras pessoas que curtam o estilo que a banda toca.


FMZ_ONLINE: Alguma apresentação da banda em especial?

João Luiz: Pra mim foi o último show com o Miguel, primeiro guitarra, no Cai Torto de 2004 em uma quadra de futebol na Alzira Vargas (São Gonçalo/RJ), estava lotado o batera foi o Charles de novo, o Bozo estava por lá e deu uma palhinha arrasadora em "Nos Deixem em Paz", esse show ficou marcado, também teve um festival em 2001 em Juiz de Fora/MG, logo depois da apresentação do DZK e outro em Ouro Preto/MG, que depois do show pessoas locais vieram me cumprimentar, então pra isso marcou.

Rafael A.: Eu acho que vou ter a mesma resposta pra essa pergunta durante um bom tempo. Mas o show de quinze anos, no Metallica Pub, foi sensacional. Conseguimos reunir vários camaradas tocando junto com a gente, mostra de fanzines, exibição de documentários, churrasco, ex integrantes participando do show e um público que não víamos no Metallica Pub já fazia um bom tempo! Lembro que só de bateristas, naquela noite, foram três!!! O Miguel, primeiro guitarrista da banda, que tantas vezes eu fui assistir, tocou com minha guitarra (grande honra!).. Amigos e galera cantando as músicas da banda e agitando! E mesmo com um ou outro contratempo: Foi incrível!

Fabiano: Desde que eu entrei na banda destaco o show na Comunidade S8, Som do Vale (valeu pela oportunidade, Ayrton!!) e um dos shows no Metallica Pub (se não me engano foi a não comemoração do aniversário do Rafael A...rsrsrs)


FMZ_ONLINE: Rafael, fora o Inércia você ainda trabalha com zine, selo, blog e produtora. Dá prá conciliar tudo isso?

Rafael A.: Cara, sem maiores problemas. Quando ouço coisas do tipo “... você tem que ter tempo pra você”, me assusto. Pra mim é muito óbvio e claro que quando estou envolvido com o meio underground, cuidando do FMZ, cobrindo shows, montando banquinha nos eventos, produzindo shows, tocando, escrevendo, enfim, esse é o tal tempo pra mim. É a forma como me afirmo enquanto indivíduo, cidadão, minha contribuição para a sociedade, meu grito de revolta, minha luta... Não consigo me imaginar sendo mais útil que envolvido com o cenário independente... Absolutamente para todos os projetos que você citou, há planos de melhorar, fazer mais. Nem sempre as coisas acontecem na velocidade que gostaríamos. Mas uma hora rola. O grande lance é não parar. Não rolou aqui, faz ali e por aí vai. De qualquer forma, considero a música e a arte de uma maneira geral a mais importante ferramenta para se promover mudanças (ao menos a única em que ainda acredito), logo, pra mim é um prazer poder estar envolvido com tudo isso. Não sinto como se fosse algo desgastante nem nada parecido. É exatamente a vida e a causa que escolhi, definitivamente.


FMZ_ONLINE: E como é o público da banda?

João Luiz: Entre Punks e Hardcores, quem curte som pesado, agressivo, quem é consciente sobre os temas em que abordamos, até o pessoal que curte som alternativo estão entre nossos amigos e admiradores da banda, então resumindo um público bem abrangente.

Rafael A.: Já eu não sei te responder...rsrsrs Tem a galera Punk sim, claro. Mas hoje em dia, mesmo o cenário Punk mudou bastante. Curto quando vejo galera mais nova se amarrando no show da gente! De qualquer forma, no que depender de mim tocamos pra absolutamente todo tipo de público. Me interessa fazer barulho, sentir essa troca que é tocar e ver a galera agitando, pogando, gritando junto contigo. Que tipo de pessoa que vai estar ali? Não faz diferença alguma pra mim. Se é Punk, Hardcore, Headbanger, cristão, ateu, gente 'normal'...rsrsrsrs

Fabiano: A galera das antigas sempre marca uma presença nos shows e no decorrer dos anos novas amizades surgiram e também nos prestigiam!


FMZ_ONLINE: Planos para o futuro do Inércia?

João Luiz: Ensaiar bastante com o novo batera, até estarmos prontos para gravar material novo e regravar coisas antigas, em que a gravação ficou deteriorada com o tempo. Então, sim poder lançar novo CD.

Rafael A.: Particularmente, estou com a cabeça no show de dezesseis anos da banda. Já concluímos que a data merece algo especial. O de quinze anos foi muito bacana, logo, vamos ter de nos esforçar pra fazer algo ainda melhor, né? Queria muito algo que envolva não só as bandas de amigos que tem dividido o palco conosco, mas as diversas manifestações artísticas comuns ao meio underground. Mostra de fanzines, enfim, temos até outubro pra fazer o melhor que conseguirmos. E tem a necessidade de gravar material novo, colocada pelo João. Já éramos pra ter feito isso faz tempo, mas as constantes trocas de baterista acabaram impedindo a coisa de acontecer. Agora, com o Felipe Ninja, a coisa tem tudo pra rolar sem maiores problemas. Estou bastante ansioso pra colocar tudo isso em prática!

Fabiano: Compor novas músicas, gravar algumas e tocar em lugares fora do eixo Niterói- São Gonçalo.

Felipe Ninja: Pretendemos gravar, temos toda a intenção de apresentar material novo e mostrar que acima de tudo, o Punk está vivo e muitíssimo bem obrigado e nós pretendemos manter dessa forma.


FMZ_ONLINE: São Gonçalo ainda tem muito a oferecer na cena musical?

João Luiz: Certamente! Enquanto houver espaço como o Metallica Pub, que em conversa com o Rafael chegamos à conclusão de que é o nosso CBGB. Temos estado lá todos os meses, então por nós mesmos, mantemos a cena de SG, trazendo bandas de vários lugares do estado e até de fora.

Rafael A.: Muito! A cidade sempre foi um autêntico celeiro de bandas undergrounds. Em meados dos anos noventa havia muita coisa acontecendo aqui. O começo dos anos 2000 também foi bom, mas com o passar do tempo a coisa desandou. Algumas coisas ainda aconteciam, ok. Mas, no meu entender, de forma equivocada, muito atabalhoada e sem planejamento num nível mais amplo. O cenário estagnou, a galera sumiu, shows vazios, enfim. Do ano passado pra cá nossa 'São Gonça Rock City' tem dado mostras de que pode (e vai) melhorar. Tem uma garotada boa, gente das antigas e gente nova fazendo barulho. Bandas saindo pra tocar em outros municípios, shows locais com uma frequência bacana. De alguma forma, acho que a galera daqui está voltando a entender que todos fazem parte do cenário. Do cara que cede o espaço pro show, ao cara que organiza, passando por quem simplesmente vai pra prestigiar, comprar um CD, uma camisa. Quem dedica tempo a escrever sobre o que rola, ou mesmo compartilhando fotos dos shows e flyers em redes sociais... Tudo e todos são fundamentais. Se qualquer um desses elementos que citei não existirem, a coisa não funciona. Bandas como a Join the Dance, Manifast, SIC, Ematoma, o pessoal de eventos como o festival Cai Torto que retomou atividades recentemente, Metallica Pub, enfim! Todos que dedicam um pouquinho que seja do seu tempo ao meio underground são importantíssimos nesse trabalho de reestruturação do cenário gonçalense que vem sendo feito. E, creio eu, vem muito mais por aí. Vamos trabalhar por isso!

Fabiano: Já esteve melhor, mas ainda tem uma galera que batalha com afinco e dedicação para sustentar a cena organizando shows e também pessoas que conseguem sustentar locais para a realização de shows!

Felipe Ninja: São Gonçalo e Niterói sempre tiveram muita coisa a oferecer na cena musical; daqui surgem muitas bandas boas, muita gente talentosa e brilhante já surgiu daqui e se tivéssemos que listar todo mundo, perderíamos um bom tempo fazendo isso, se estamos considerando a cena musical de uma forma geral.

...

João Luiz: Bom, é isso! Quero agradecer a oportunidade e mandar um abraço a todos os amigos e fãs do Inércia, estamos chegando aos 16 anos e sem toda essa gente que participou, tanto ativamente com a banda e como público, sem isso não teríamos disposição para continuar, portanto agradeço a cena Punk/underground em geral. Valeu!!!!

Rafael A.: Muito obrigado pelo espaço Carlos. Te esperamos de volta a São Gonçalo ou a qualquer show onde o Inércia for fazer um som pra tomarmos aquela nossa cerveja! Abração meu camarada!

por: Carlos A.

Conheça a banda no link.


Originalmente publicada em 03/06/2013 no blog Box Alternativo. Conheça o BA.


foto: Latitude Zero Prod.

terça-feira, 23 de julho de 2013

Folha Alternativa #3


Folha Alternativa #3
(12 págs., jornal, tabloide, pb)

Jornal direcionado para a vida cultural de São Gonçalo! Iniciativas como esta são sempre bem vindas, concordam? Pois bem, este número três do Folha Alternativa foi lançado em outubro do ano passado e traz, entre outros, crônicas, notícias relacionadas a espaços e eventos culturais na cidade e colunas. Tudo sempre direcionado para o dia a dia do município. Difundir cultura é sempre válido. E São Gonçalo precisa (muito) disso! Boa dica de leitura pra galera de nossa Região!

Rafael A.

Mais sobre a Folha Alternativa no link.

segunda-feira, 22 de julho de 2013

Rock na Garagem de julho!!!



Rock na Garagem
20/07/2013
Metallica Pub (Porto Novo, São Gonçalo/RJ)
MACACOS ME MORDAM – OZOME – MONSTER TRIO – ARRESTED FOR POSSESSION - XARLES XAVIER

Edição de julho do Rock na Garagem! Mais uma etapa a ser concluída e, como sempre, as expectativas são as melhores possíveis! Horas antes de partir para o Metallica Pub recebemos a notícia de que um dos integrantes da Monster Trio havia perdido um ente querido na madrugada de sábado. A banda não cancelou sua participação de pronto, o que seria perfeitamente aceitável. Pediram mais um tempo para decidir se tocariam ou não. Não deu. De nossa parte, entendemos a situação perfeitamente.

Uma situação destas acaba dando uma quebrada no clima. Gostaríamos que todos pudessem se apresentar, curtir e se divertir conosco... Mas vida que segue, né? Vamos aos trabalhos: abrimos a noite com o excelente terceiro capítulo do documentário Fanzineiros do Século Passado, de Marcio Sno! Logo em seguida foi a vez do compositor Xarles Xavier (acompanhado deste que vos escreve): Set curto, canções autorais e uma ou outra versão. E vamos direto pro show dos mineiros da banda Ozome (não confundir com os cariocas da clássica Uzômi, ok?)! Belíssima apresentação! Banda extremamente competente. Influências que passam pelo Mangue Beat de CSNZ e o Rapcore dos 90`s!

Em seguida, era chegada a hora do Hardcore tomar conta do Rock na Garagem! Os cariocas da Arrested for Possession atacaram (com batera emprestado e tudo!) e fizeram uma barulheira dos infernos! Show rápido, barulhento, certeiro! Pancadaria da melhor qualidade, como sempre! E liquidando a fatura, os camaradas da Macacos me Mordam mostraram porque são um dos nomes mais importantes do underground carioca atualmente: banda redondíssima! Participação de Rodrigo Chuva da Arrested for Possession no baixo em uma das músicas! Cover de “Same Old Story” do Pennywise cantado por todos os presentes e pedradas como “Desculpe Brasil” e “Cachaça” (faixa de nossa Coletânea Virtual PATCH!) encerraram com chave de ouro mais uma edição de nosso RG!

É óbvio que gostaríamos de ter o Metallica Pub entupido de gente, com direito à rua lotada do lado de fora, como em outras épocas. Mas, mesmo tendo certeza que as bandas mereciam tocar pra muito mais gente, ficamos felizes com a galera que apareceu e prestigiou tanto nosso trabalho, como o das bandas participantes... Até o momento (segunda à tarde) não recebemos nenhum tipo de contato do fotógrafo Maurício Porão, que levaria sua mostra Naked Lunch ao evento e... (a mesma velha história: nossa parte foi feita).

Aliás, fica aqui nosso agradecimento ao Metallica Pub: acabamos passando e muito do horário. A casa nos deu mais um voto de confiança e permitiu que estendêssemos o evento até que todas as bandas pudessem se apresentar. Mais uma vez, obrigado. Valeu bandas, DJ Cliff, fanzineiros que enviaram trabalhos para nossa mostra e todos que curtiram o som, o churrasco, a cerveja e deram sua contribuição (às vezes, só sair de casa já é uma ajuda e tanto) para mantermos nosso RG vivo! Missão cumprida! Em agosto tem mais!

Rafael A.


Mais fotos do Rock na Garagem – Edição #28 em nosso perfil no Facebook.
fotos: Krex & Rafael A. / Latitude Zero Prod.

Confira um trecho do show da Arrested for Possession em nosso canal no Youtube:

domingo, 21 de julho de 2013

Segundo dia de Senso Incomum acontece hoje


Logo mais, no município serrano de Petrópolis, acontece o segundo dia da quarta edição do Senso Incomum! O evento promovido pela Petrópolis Inc. leva à Região Serrana Fluminense shows com O Vuador Zumbi (foto), The Mountain Season, Montanas Trio (PR), Estudantes E Muleta Cruel! De quebra, rolam expos diversas e batalha de MC`s à cargo da Confraria da Poesia Informal. Rola a partir das 15h no Estúdio S, que fica na Rua Quissamã, 120, Petrópolis/RJ. Ingressos a, somente, R$10! Baratinho, vale a pena sair de casa pra prestigiar, né? Infos no link.

Rafael A.

foto: divulgação

sábado, 20 de julho de 2013

East Side no Metallica Pub!



Entre Amigos
19/07/2013
Metallica Pub (Porto Novo, São Gonçalo/RJ)
EAST SIDE (SP) – JOIN THE DANCE – WORTHLESS – FOKISMO

Noite de sexta-feira, chuva e, pra variar só um pouquinho, engarrafamento em Niterói e São Gonçalo. Ok, até aí nada de diferente... Só que nessa sexta friorenta tinha som com banda de São Paulo no Metallica Pub! Edição do evento Entre Amigos, que contou com apoio do FMZ! Fomos lá conferir!

Direto pro que interessa! O Power Violence da banda Worthless abriu os trabalhos! Dois vocais berrando como se o mundo fosse acabar. Pancadaria sem dó nem piedade nos tímpanos de quem chegou pra perto da banda e agitou junto com os caras! Primeiras rodas e público chegando no local, foi a vez da anfitriã Join the Dance mostrar seu Hardcore Melódico. Mais uma vez, povo perto da banda cantando os sons! Destaque para “Left Behind”, faixa do volume seis de nossa Coletânea Virtual PATCH! (confira) que encontrou eco na galera e contou com a participação de bandas amigas nos vocais! E pra liquidar a fatura, os paulistas da East Side (foto) mostraram um amadurecimento musical e tanto! Quem lembra da primeira passagem dos caras pelo Metallica Pub, se bem me lembro, no ano passado sacou o quanto o HC cheio de peso e vocais gritados desses paulistas evoluiu! Ponto pra eles! A banda Fokismo não pode se apresentar, uma pena... Sendo assim, fica pra próxima!

Sem enrolar muito, era hora de voltar pra casa! No sábado, ou seja, hoje, é dia de Rock na Garagem com direito a bandas do Rio de Janeiro, Minas Gerais e Niterói na casa gonçalense! O barulho começa por volta das 17h com a exibição do documentário Fanzineiros do Século Passado pt.3! Vale a pena chegar cedo e conferir, ok? Nos vemos no Metallica Pub logo mais!

Rafael A.

Mais fotos do Entre Amigos em nosso perfil no Facebook.
fotos: Rafael A. / Latitude Zero Prod.

Confira um trecho do show da banda East Side:

Senso Incomum em Petrópolis daqui a pouco



Começa hoje e vai até amanhã a quarta edição do evento Senso Incomum! O evento que conta com o apoio do Feira Moderna Zine leva ao Estúdio S, em Petrópolis, Região Serrana Fluminense, shows, exposições e uma quantidade enorme de atrações que vão do Rap do MC Durango Kid (foto) às artes visuais! Vai rolar de tudo, pra tudo quanto é gosto!

Serviço:

20 de julho :: sábado :: 17h
Petropólis Inc. apresenta: Senso Incomum IV
Shows: UTÓPICACAFÉ BORDELMC DURANGO KIDUPSIDE DOWNSTIGMA BIRN + Artes Ao Vivo + Batalha de MC`s Tomate Seco
Local: Estúdio S
End.: Rua Quissamã, 120, Petrópolis/RJ

21 de julho :: domingo :: 15h
Petropólis Inc. apresenta: Senso Incomum IV
Shows: O VUADOR ZUMBITHE MOUNTAIN SEASONMONTANAS TRIO (PR) – ESTUDANTESMULETA CRUEL + Artes Ao Vivo + Batalha de MC`s Confraria da Poesia Informal
Local: Estúdio S
End.: Rua Quissamã, 120, Petrópolis/RJ

Infos no link.

Apoio: Feira Moderna Zine

Hoje é dia de Rock na Garagem!!!



É hoje! As bandas Macacos Me Mordam (foto), Ozôme (MG), Arrested For Possession, Monster Trio e Xarles Xavier fazem barulho na vigésima oitava edição do Rock na Garagem! O evento, que também marca a 'não-comemoração' do aniversário do músico e um dos criadores do RG, Rafael A., leva literalmente uma penca de atrações ao Metallica Pub a partir das 17h! Nos vemos lá!
Latitude Zero Prod.


Serviço:

20 de julho :: sábado :: 17h

Rock na Garagem – Edição#28

Shows:
MACACOS ME MORDAM
OZÔME (MG)
ARRESTED FOR POSSESSION
MONSTER TRIO
XARLES XAVIER

+ expo Naked Lunch (Maurício Porão)
+ Doc. Fanzineiros do Século Passado pt.3 (Márcio Sno)
+ Mostra de Fanzines + Lançamento Coletânea Virtual PATCH! Vol.6
+ discotecagem: DJ Cliff & Rafael A. (especial A77aque)

Local: Metallica Pub
End.: Rua José do Patrocínio, 42, Porto Novo, São Gonçalo/RJ
ENTRADA FRANCA / infos

foto: Leandro Fernandez

Rock na Garagem logo mais no Metallica Pub!


É hoje! Tem barulho rolando no reduto roqueiro gonçalense logo mais! É a vigésima oitava edição do Rock Na Garagem que rola a partir das 17h! Shows com as bandas Macacos Me Mordam, Ozôme (MG), Arrested For Possession, Monster Trio, Xarles Xavier (foto), discotecagem à cargo de Rafael A. & DJ Cliff com direito a especial Attaque 77 e mais uma penca de atrações no Metallica Pub a partir das 17h! Imperdível! Esperamos todos vocês logo mais no bairro Porto Novo pra curtir um som junto conosco, ok? É hoje! E a entrada é franca! Não perca!

Latitude Zero Prod.


20 de julho :: sábado :: 17h
Rock na Garagem - Edição#28
Shows: MACACOS ME MORDAM - OZÔME (MG) - ARRESTED FOR POSSESSION - MONSTER TRIO - XARLES XAVIER
+ expo Naked Lunch (Maurício Porão) + Doc. Fanzineiros do Século Passado pt.3 (Márcio Sno) + Mostra de Fanzines + Lançamento Coletânea Virtual PATCH! Vol.6 + discotecagem: DJ Cliff & Rafael A. (especial A77aque)
Local: Metallica Pub
End.: Rua José do Patrocínio, 42, Porto Novo, São Gonçalo/RJ
ENTRADA FRANCA / infos

foto: Wanderley Pereira

sexta-feira, 19 de julho de 2013

Lougo Mouro comemora dez anos


Tem banda de Niterói/RJ fazendo aniversário! A Lougo Mouro chega aos dez anos de atividades e anuncia novidades para a galera que curte seu som! Já está no ar o web clipe da música “Menos Um”, gravado na Audio Rebel (foto), na Zona Sul carioca. A banda também anunciou o lançamento de um CD e mais um video clipe no mês que vem. Iolme Junior, Gabriel Pigozzo, Pedro Nunes e Vinicius Soares formam a Lougo Mouro e já dividiram o palco com grande nomes do Rock nacional, além de marcarem presença em festivais renomados em diversos estados. Conheça a banda no link.

Rafael A.

Confira o clipe de “Menos Um”:

foto: divulgação

É amanhã! Macacos me Mordam no Rock na Garagem!


É amanhã! Tem Rock Na Garagem no Metallica Pub! E tem banda carioca fazendo barulho da melhor qualidade na casa roqueira gonçalense! Direto da Ilha do Governador, na Zona Norte carioca, a banda Macacos Me Mordam (foto) volta a São Gonçalo e faz uma das apresentações mais aguardadas desta edição do evento! A Macacos me Mordam pode ser tranquilamente apontada como um dos nomes mais importantes do underground carioca atualmente, e vem dividindo o palco com uma penca de nomes importantes do cenário alternativo nacional! ! Os caras participam, ainda, do volume seis de nossa Coletânea Virtual PATCH! que será oficialmente lançada amanhã no Metallica Pub! Mais sobre a banda no link.

Latitude Zero Prod.


20 de julho :: sábado :: 17h
Rock na Garagem - Edição#28
Shows: MACACOS ME MORDAM - OZÔME (MG) - ARRESTED FOR POSSESSION - MONSTER TRIO - XARLES XAVIER
+ expo Naked Lunch (Maurício Porão) + Doc. Fanzineiros do Século Passado pt.3 (Márcio Sno) + Mostra de Fanzines + Lançamento Coletânea Virtual PATCH! Vol.6 + discotecagem: DJ Cliff & Rafael A. (especial A77aque)
Local: Metallica Pub
End.: Rua José do Patrocínio, 42, Porto Novo, São Gonçalo/RJ
ENTRADA FRANCA / infos

foto: Leandro Fernandez

quinta-feira, 18 de julho de 2013

Ceumar no Teatro Rival logo mais


Hoje é dia do público carioca conferir o show da cantora paulista Ceumar. A moça se apresenta acompanhada da percussionista Priscila Brigante e da baxista Lelena Anhaia logo mais na tradicional casa do Centro do Rio. Ceumar (foto) chega com seu show à Cidade Maravilhosa após turnê pelo interior paulista dentro do Circuito Sesc De Artes 2012 e show na Virada Cultural Paulista! A apresentação ocnta com a participação do produtor musical holandês Ben Mendes! O show está marcado para às 19:30h, os ingressos ficam entre R$25 e R$50 e o Teatro Rival fica na Rua Álvaro Alvim, 33/37, Cinelândia, Centro, Rio de Janeiro/RJ. Classificação: 16 anos.

Rafael A.

foto: divulgação 

Arrested for Possession no Rock na Garagem!


Tá chegando... Sábado é dia de Rock Na Garagem! E tem banda representando o Hardcore carioca no Metallica Pub! A Arresteed For Possesion é um dos principais nomes do atual cenário Punk Rock/HC da Cidade Maravilhosa e faz sua estreia em São Gonçalo neste sábado! Os caras são parte atuante no underground carioca através da Liga HC, lançaram uma demo recentemente e em breve dão as caras no volume seis de nossa Coletânea Virtual PATCH! Show imperdível! Altamente indicado para fãs de Hardcore e de uma boa barulheira infernal!!! Conheça a banda no link.


Latitude Zero Prod.

20 de julho :: sábado :: 17h
Rock na Garagem - Edição#28
Shows: MACACOS ME MORDAM - OZÔME (MG) - ARRESTED FOR POSSESSION - MONSTER TRIO - XARLES XAVIER
+ expo Naked Lunch (Maurício Porão) + Doc. Fanzineiros do Século Passado pt.3 (Márcio Sno) + Mostra de Fanzines + Lançamento Coletânea Virtual PATCH! Vol.6 + discotecagem: DJ Cliff & Rafael A. (especial A77aque)
Local: Metallica Pub
End.: Rua José do Patrocínio, 42, Porto Novo, São Gonçalo/RJ
ENTRADA FRANCA / infos

foto: divugação

quarta-feira, 17 de julho de 2013

Tributo a Vinícus de Moraes vindo por aí


A produtora Na Cara e Na Coragem anunciou recentemente seu mais novo projeto! Depois de homenagear Luiz Gonzaga em seu centenário, chega a vez de Vinícius de Moraes! O #Partiu Itapuã (foto) irá reunir não apenas músicos! Poetas e artistas plásticos também podem participar com versões, paródias e homenagens diversas ao trabalho de Vinícius! O tributo está programado para ir pro ar em dezembro e ficará disponível em diversos locais da web! Interessados em participar podem entrar em contato com a Na Cara e Na Coragem através do link.

Rafael A.

East Side no Metallica Pub nesta sexta



A banda East Side (foto) está de volta ao RJ! Os caras se apresentam nesta sexta-feira o Metallica Pub em evento que conta com o apoio do Feira Moderna Zine! Rolam ainda shows com Join the Dance, Fokismo e Worthless. Compareça!

Serviço:

Entre Amigos

19/07/2013 (sexta, 19h)

Shows:
East Side
Join the Dance
Fokismo
Worthless.


Local: Metallica Pub
End.: Rua José do Patrocínio, 42, Porto Novo, São Gonçalo/RJ.
ENTRADA FRANCA / Apoio: Feira Moderna Zine


foto: divulgação

Banda mineira no Rock na Garagem neste sábado!


O próximo Rock na Garagem está recheado de atrações! E tem uma galera vindo de longe pra fazer um som no Metallica Pub! Tem banda mineira pisando pela primeira vez em palcos do lado de cá da poça! Sábado a banda Ozôme (foto) faz sua estreia no Metallica Pub! Depois de uma primeira e premiada passagem por terras cariocas, na Lapa, no ano passado esses mineiros voltam à terras cariocas e são atração do Rock na Garagem! Rock`n`Roll na pressão, cheio de peso e criatividade! Ainda não conhece a banda? Se liga no site oficial dos caras, visite o link.


Latitude Zero Prod.



20 de julho :: sábado :: 17h
Rock na Garagem - Edição#28
Shows: MACACOS ME MORDAM - OZÔME (MG) - ARRESTED FOR POSSESSION - MONSTER TRIO - XARLES XAVIER
+ expo Naked Lunch (Maurício Porão) + Doc. Fanzineiros do Século Passado pt.3 (Márcio Sno) + Mostra de Fanzines + Lançamento Coletânea Virtual PATCH! Vol.6 + discotecagem: DJ Cliff & Rafael A. (especial A77aque)
Local: Metallica Pub
End.: Rua José do Patrocínio, 42, Porto Novo, São Gonçalo/RJ
ENTRADA FRANCA / infos

foto: Rafael A. / Latitude Zero Prod.

Leia também: