domingo, 31 de março de 2019

Test Drive de Buteco :: Por que o Test Drive?


por Rafa Almeida

O motivo principal pra existir este cantinho aqui no FMZ é o mais óbvio possível: a gente gosta de bar, de cerveja e de tira-gosto! Ah, sim: o fato de boa parte da história deste fanzine, tanto impresso quanto virtual, ter se desenrolado por entre bares dos mais diversos tipos e nos mais diferentes lugares, também tem a ver com a coluna (é, somos bebuns incorrigíveis). Mas tem mais!

Os botecos, do jeito que o Test Drive gosta, estão desaparecendo. Ao menos nas regiões centrais, com o passar do tempo, cada birosca vai dando lugar a farmácias, casas de bolo, lojas de bijuterias e por aí vai. Quando não são substituídos pelos tais “barzinhos” (que de botequim tem muito pouco). Mas calma, eles ainda existem!

Seja no Rio ou em qualquer outro lugar, o boteco é ponto de encontro, refúgio, oásis e muito mais. É parte indissociável de nossa cultura, principalmente musical. E não estou me referindo só ao samba e demais ritmos populares, não! Sendo assim, se faz necessário deixar registrado que estes lugares existiram. E que por muito tempo habitaram cada cantinho de nossas cidades (e fazem parte de nossas vidas).

É bem verdade que alguns desses lugares, de tão antigos e historicamente relevantes, acabam se modernizando e, mesmo mantendo algumas características como mobiliário ou cardápio (em alguns casos, até funcionário antigo vira atração) acabam virando ponto turístico. Porém, ao tal processo acaba implicando em preços altos e um certo requinte que não interessa ao nosso Test Drive.

Há de se mencionar que estamos falando de espaços predominantemente adminitrados e frequentados por homens (numa faixa de idade mais avançada, por assim dizer) . Em boa parte dos casos, sequer se encontra endereços virtuais desses lugares. Ainda estão no século passado. Sim, estamos falando de ambientes muito conservadores, lugares onde o machismo e diversos formas de preconceitos ainda são a regra. Não é exclusividade dos botequins, ok. E é uma pena que isso ainda não tenha mudado. Mas, em sua maioria, esses lugares são assim.

Antes de encerrar, é de fundamental importância ressaltar alguns aspectos que fazem com que esse ou aquele bar se encaixe na ideia do Test Drive de Buteco. Garçom que enche seu copo não é bem visto por aqui, não é legal. Muito menos os que fazem isso toda hora (sabemos que a culpa não é deles). Fazer uso do termo “boteco raiz” é inaceitável (geralmente serve pra lugares que tentam emular o conceito de botequim... e passam longe). Qualquer coisa com “gourmet” também não serve pra gente aqui!

Não menos importante: Copo americano ganha ponto. Palito é clássico, mas garfo e faca ajudam em certos procedimentos. Jiló é vida. Ah, importante! Farofa pronta não rola! O mesmo vale pro alho frito! E tem que ter pimenta de verdade (molho de pimenta não ofende, até serve, mas não é pimenta)!

A tendência é que esses lugares desapareçam. Geralmente são pequenos negócios de família que passam de uma geração pra outra. Até que um filho ou herdeiro muda, repensa, refaz ou simplesmente se desfaz. E apesar de uma certa tosquice no ar, pouco tato no atendimento e conceitos de higiene não muito confiáveis, são lugares através dos quais conseguimos lembrar de épocas, fases e momentos de nossas vidas. Sendo assim, continuaremos à procura dos botecos que ainda restam por aí!

Confira por onde o Test Drive de Buteco já passou.

foto: Extinto Bar AlêDavi, em São Gonçalo/RJ, por Rafa Almeida

sábado, 30 de março de 2019

Mova-se! :: Amanhã é dia de EBA em Niterói!


por: Rafa Almeida

Já falamos desse projeto aqui no FMZ! O Bike Anjo acontece em diversas cidades do Brasil e do mundo, e tem como objetivo ensinar a galera a pedalar! Bem como incentivar o uso da bicicleta como meio de transporte e hábito saudável! Uma vez por mês rola a versão niteroiense do evento, o Escola Bike Anjo (EBA), no Teatro Popular. E amanhã é dia! É gratuito, para todas as idades e a partir das 15h! Maiores informações na página do evento no Facebook.

Mais sobre o Bike Anjo Niterói.

foto: Bike Anjo Niterói/Facebook

sexta-feira, 29 de março de 2019

Filmes & Docs. :: Pastor Claudio

Pastor Cláudio
(De Beth Formaggini, Brasil, 2017)

por: Rafa Almeida*

Em tempos de sobras, o filme Pastor Cláudio se faz necessário. E muito! Hoje pastor evangélico, Cláudio Guerra descreve as atrocidades que cometeu enquanto agenda do Estado durante a ditadura militar brasileira. Ouvir seu relato, e tentar reconstituir em nosso imaginário cenas tão cruéis e aterradoras embrulha o estômago. Mas é preciso. Durante a entrevista ao psicólogo e ativista de Direitos Humanos Eduardo Passos, Pastor Cláudio se enrola, deixa transparecer frieza, egoísmo e desfaçatez. Aspectos típicos de quem foi capaz das barbaridades por ele cometidas. Filme necessário. Assista.



* Rafa Almeida não é, nem de longe, 'entendedor' de cinema, mas gosta de aproveitar promoções e exibições gratuitas pra pôr sua medíocre 'bagagem cinematográfica' em dia.

quinta-feira, 28 de março de 2019

Musica Livre :: Logo mais tem som no Teatro da UFF!


por: Rafa Almeida

O Projeto Música Livre toma conta do Teatro da UFF logo mais! No palco, Ana Frango Elétrico (foto) e Barcamudi se apresentam a partir das 20h, com ingressos entre R$15 e R$30. A poeta, cantora, compositora e artista visual Ana Fainguelernt apresenta seu primeiro álbum "Mormaço Queima". Gabriela Autran, Gil Navarro, João Barreira, Leon Navarro, Matheus Ribeiro e Pedro Chabudé formam a Barcamundi! E os niteroienses mostram os sons de seu recém-lançado "Disco Adulto". Informações na página do evento no Facebook, ok?

Conheça as bandas: Ana Frango Elétrico :: Barcamundi
::
foto: divulgação

quarta-feira, 27 de março de 2019

Filmes & Docs. :: Cafarnaum

Cafarnaum
(De Nadine Labaki, Líbano/FRA/EUA, 2018)

por: Rafa Almeida*

Há tantas questões relevantes no mundo de hoje sendo tratadas aqui, que chega a ser difícil não deixar a trama em si em segundo plano. Imigrantes ilegais, miséria, abuso infantil, violência doméstica, o papel do Estado na vida do indivíduo e por aí vai. Cafarnaum te mantém de olhos e ouvidos atentos do primeiro ao último minuto. Há caos e pobreza por todo lado, nas imagens e no som espetacular! Até no silêncio dá pra ouvir as ruas do Líbano te guiando por uma viagem onde, como disse, a história (ou a forma como ela é contada) talvez não seja a coisa mais importante.



* Rafa Almeida não é, nem de longe, 'entendedor' de cinema, mas gosta de aproveitar promoções e exibições gratuitas pra pôr sua medíocre 'bagagem cinematográfica' em dia

terça-feira, 26 de março de 2019

Slam Praça Preta :: Edição de março rola nesta quinta!


por: Rafa Almeida

Última quinta-feira do mês chegando e, junto com ela, a edição de março do Slam Praça Preta! A competição de poesia falada promovida na Praça JK, no Centro de Niterói, acontece a partir das 19h com Mic aberto e premiação para os vencedores! Como mandm os costumes, jurados escolhidos na hora dentre o público presente e três minutos pra cada poeta declamar sua poesia, que pode ser improvisada ou não. Lembrando que temáticas racistas, machistas, LGBTfóbicas ou fascistas acarretam em desclassificação! Maiores informações na página do evento no Facebook.

Mais sobre o Slam Praça Preta.

foto: Slam Praça Preta/Facebook

segunda-feira, 25 de março de 2019

Gig Nervosa :: Edição em Niterói mês que vem!


por: Rafa Almeida

A Gig Nervosa chega à sua segunda edição e, desta vez, o som rola do lado de cá da poça! O evento atravessa a Baía de Guanabara e toma conta do Caverna, nas proximidades da Praça da Cantareira! A Gig Nervosa tem como objetivo promover o protagonismo feminino no cenário underground do RJ. E fazendo um som nesta segunda edição tem Judy A. (foto), Errática, Ogiva do Caos e Tuíra. A entrada é franca com contribuição voluntária. Maiores informações na página do evento no Facebook.

Conheça as bandas: Judy A. :: Errática :: Ogiva do Caos :: Tuíra

Mais sobre a Gig Nervosa.

foto: divulgação

domingo, 17 de março de 2019

Test Drive de Buteco :: JMV 53


por: Rafa Almeida

Da Praça Mauá até a Pedra do Sal dá pra encontrar bares que ainda guardam algumas características dos antigos botequins, do jeito que o Test Drive de Buteco gosta. E já que a ideia aqui é fugir dos tais “barzinhos”, e falar de boteco, voltamos aos arredores da Praça Mauá pra dar um confere em mais uma birosca!

O JMV 53 tem tira-gosto exposto no balcão, bancada extensa com aqueles bancos fixos e outros detalhes que nos remetem aos bares de antigamente. As cervejas tem preços que não fogem muito à média na cidade. Petiscos, idem.. Este que vos escreve foi de Frango à Passarinho (foto). Muito bom, por sinal! Recomendado. Até!


Serviço:
JMV 53 Bar e Lanchonete
End.: Rua Sacadura Cabral, 53, Saúde, Rio de Janeiro/RJ
Tel.: (21)22232618


foto: Rafa Almeida

quarta-feira, 13 de março de 2019

Girl Power :: Março de som e ação social no RJ!


por: Rafa Almeida

De 08 a 30 de março acontece no Duck Walk Pub, na Praça da Bandeira, o Girl Power & O Poder das Minas! O evento tem como objetivo, além de dar voz a novos nomes do cenário carioca, promover atividades como rodas de conversa e arrecadação de donativos para instituições de apoio à mulher.

Fazendo um som, tem Laura Zennet, Melyra (foto), Blastfemme, Venuz e a DJ Priscila Dau, entre outras atrações! O evento também estará arrecadado lenços e cabelos para a Cabelinhos do Bem, que atende mulheres em tratamento de câncer. E itens básicos de higiene pessoal para o Elas Existem, que presta assistência às mulheres encarceradas.

O valor do couvert será revertido para o Mapa do Acolhimento, projeto que presta apoio a mulheres vítimas de violência. Também rola flash tattoo day, exposição de artes e venda de camisas. Programação completa e maiores informações na página do evento no Facebook.

Conheça as instituições beneficiadas pelo Girl Power:

foto: divulgação

domingo, 10 de março de 2019

Mova-se! :: Vai viajar pra correr?


por: Rafa Almeida

Há quem diga que a melhor forma de se conhecer uma cidade é correndo! E venhamos e convenhamos, quantos novos lugares na sua cidade ou nos arredores você descobriu depois que começou a correr? Como os artigos aqui na Mova-se! se baseiam nas experiências deste pretenso corredor amador que vos escreve, dá pra dizer que a afirmação procede!

É claro que, pra facilitar a vida de quem vai sair de sua cidade pra correr uma prova, já existem agencias de viagens que oferecem pacotes destinados exclusivamente a corredores. Hospedagem, inscrição, retirada de kit e tudo o mais inerente à uma prova. Mas a ideia aqui é falar destes, mas também de outros aspectos relacionados à ida a outras cidades pra correr. Principalmente se a grana é curta e não dá pra desfrutar de certas regalias...

Talvez o mais importante, até pra se evitar problemas de última hora, seja ter muito bem planejado todos os seus passos durante a viagem! E com o máximo de antecedência! Ah! Vale dar um confere em tênis, meias, vaselina e demais apetrechos a serem utilizados durante a prova. Horários, trajetos, transporte, tempo gasto entre o local da hospedagem e da entrega de kit e por aí vai.

Deve haver uma forma mais fácil, mas salvar os locais, bem como os itinerários, no Google Mapas pode resolver a vida do corredor em uma cidade estranha. Se este mesmo corredor, assim como eu, depender do trasporte público, a estratégia descrita acima é fundamental! Pouca intimidade com tecnologia? Roteiro detalhado numa folha de papel e pé na estrada!

Como disse anteriormente, tudo aqui é baseado em minhas poucas experiencias no universo da Corrida de Rua. Sendo assim, vou tocar no ponto que mais me complicou a vida mês passado, quando saí de Niterói/RJ para a Meia Maratona Internacional de São Paulo.

As horas chacoalhando no ônibus (que saiu atrasado), bater perna pela cidade no sábado após retirar o kit, me achar no metrô paulistano, uma ou outra cerveja na tarde de sábado, a noite da véspera numa cama que não era a minha (num hostel praticamente submerso em meio a um temporal), enfim... Nada disso pesou tanto durante a prova quanto ter subestimado o trajeto!

É sabido que se deve estudar o trajeto, altimetria, curvas, cotovelos (retornos). Olhar a previsão do tempo também é importante. E foi aí que o estrupício aqui vacilou... A expectativa era de chuva. E pra quem vinha treinando (ou algo próximo disso...rs) no verão do RJ, um domingo de chuva em SP surgiu como cenário perfeito pra um RP (a saber: recorde pessoal)!

O que era pra ser RP, virou suplício lá pelo km 15. Após me livrar do trânsito de pessoas, comum aos primeiros quilômetros de qualquer prova, não me fiz de rogado e forcei a barra contando que o frio de São Paulo me garantiria um bom desempenho. Só não contava com as subidas (uma após a outra), curvas, cotovelos e tudo o mais que se tem direito ao longo de todo o percurso da Meia Internacional de SP!

Deu pra garantir um Sub 2h, por pouco. E, no final das contas, o desempenho foi até bom. Dois minutos acima do meu tempo na Meia Internacional do Rio do ano passado. Levando em conta que a prova carioca é praticamente plana, até que fui bem! Mas terminei completamente destruído! O bastante pra não ter disposição pra praticamente mais nada no meu ultimo dia em São Paulo...

Se você é do time que curte nosso Test Drive de Buteco, cabe um último toque: incursões cervejeiras devem ser planejadas para depois da prova, certo? Uma ou outra, de leve, até pode ser, mas a empolgação e a ansiedade da véspera de uma corrida importante pode transformar uma em duas, duas em três e três em uma caixa! Sendo assim, cuidado.

Viajar pra correr é legal, sim! Mas correr longe de casa também é sinônimo de rotina alterada. Conselhos conhecidos como, no dia da prova fazer tudo exatamente igual ao que se fez em dias de treinos longos e coisas do tipo ajudam a cabeça e o corpo a sentirem menos a viagem. Tomando cuidado, as lembranças da prova e da viagem podem ser das melhores! Vale a pena fazer pequenos sacrifícios e partir pra correr com outras paisagens de fundo. Sendo assim: organize-se! E aproveite a viagem!


A quem interessar possa: treinos, tentativas, erros, acertos e desastres (comuns a todo corredor) em meu Instagram.

Dicas, links, artigos e outros em nosso grupo Corrida e Caminhada Niterói/RJ


foto: Meia Maratona Internacional de São Paulo 2019/Yescom

domingo, 3 de março de 2019

Test Drive de Buteco :: Tico & Teco Lanches


por: Rafa Almeida

Parece bar, tem jeito de bar, tem clima de bar... Então é bar! Sendo assim, cabe aqui no Test Drive de Buteco, certo? Tem garçons, cerveja, banheiros e ônibus chegando e saindo pra tudo quanto é lado! O Tico & Teco Lanches é um quiosque que fica dentro do Terminal Rodoviário Joao Goulart, no Centro de Niterói! E põe muito botequim no bolso!

O clima de bar toma conta do local à medida que a madrugada vai se aproximando! Não tem mesas e cadeiras, mas tem banquinhos pra sentar e acomodar sua cerveja. Rola latão e long neck, e dependendo do dia da semana você pode ser surpreendido por um pratinho de tira-gosto por conta da casa! Batata frita, calabresa e até churrasco (como o da foto) podem vir parar no seu banquinho! Bacana, né?

Atendimento nota mil e preços absolutamente justos. Melhor lugar possível pra sua saideira na madrugada, pra tomar umas depois do expediente ou simplesmente dar uma “hidratada” enquanto espera seu ônibus! Recomendadíssimo!


Serviço:
Tico & Teco Lanches
End.: Av. Visconde do Rio Branco, s/n, Centro, Niterói/RJ – Terminal Rodoviário João Goulart (plataforma laranja)


foto: Rafa Almeida

Leia também: