• Rafa Almeida

1 Disco por Dia | Legião Urbana - A Tempestade


Legião Urbana - A Tempestade

DIA 25: Legião Urbana - "A Tempestade" (1996)

Difícil não sentir o peso de "A Tempestade". O último trabalho da Legião Urbana lançado com Renato Russo em vida soa pesado e denso até nas partes mais delicadas.

Seja em momentos de muita distorção ou nas canções de arranjos mais clean, "A Tempestade" reafirma a capacidade que cada disco da Legião Urbana tem de traduzir em música a condição da geração que amadureceu junto com a banda, desde os anos 1980.

Os mais diversos aspectos da vida comum, cotidiana estão lá. Em "Música de Trabalho", "Leila" e em outros momentos. A saudade em "Dezesseis" e seja lá o que for que você, que está lendo, sinta ao ouvir "A Via Láctea", está lá.

Como é de praxe, cada um interpreta certas canções da forma que as sente. E algumas coisas da Legião Urbana tem tantos, mas tantos significados que nem me arrisco! É o caso, assim como sinto em "A Via Láctea", de minha favorita, "Esperando por Mim"!

Eu tenho sempre a impressão que ouvi "A Tempestade" num momento errado da vida. Ficava com a impressão de que quanto mais velho fosse ficando, as canções passariam a soar mais serenas, menos inquietantes.

Que nada! O disco foi feito exatamente pra soar como soa: triste, inquietante, soturno, sei la. Como alguém que aceita o que a vida vai lhe impondo e se mantém de pé. E isso tem a ver com a geração 1980, com a AIDS, com Plano Collor e com a forma como aquelas pessoas e o país delas chegou à década seguinte.

Há quem diga que os anos 1980 terminaram no dia 7 de julho de 1990, com a morte de Cazuza. Acho que não... O fim da década do BRock 80, creio eu, não se deu com a morte de Cazuza, em 90. Mas sim, seis anos depois, em 20 de setembro, com o lançamento de "A Tempestade".

Renato morreria no mês seguinte. Mas só "O Livro dos Dias" seria capaz de condensar, resumir, traduzir e sepultar de forma digna a "geração Coca-Cola". Um final triste? Pode ser. Triste, mas belo também.

Fica muito claro, depois de ouvir "A Tempestade" diversas vezes, que Renato sabia que este seria seu último trabalho em vida. E não é difícil identificar o tom de despedida do disco. E apesar disso, a Legião Urbana e Renato Russo cumpriram sua missão de oferecer sempre um novo trabalho bonito e bem cuidado aos fãs. E sim, há beleza na arte até quando ela é triste e de despedida.

Ah, sim... tudo isso vai passar, viu? Acho que, de alguma forma, Renato queria dizer isso também!

"E o que disserem

Meus verdadeiros amigos sempre esperarão por mim

E o que disserem

Agora meu filho espera por mim

Estamos vivendo

E o que disserem

Os nossos dias serão para sempre" (Esperando por Mim)

Compre na Amazon.

Publicado originalmente em 25/07/2020.


#feiramodernazine #1discopordia #legiaourbana #atempestade #olivrodosdias

leia também:

Encontre os livros mais vendidos em oferta na Amazon:

br_associates_2_300x100._CB465180671_.jp

Encontre livros em oferta na Amazon:

br_associates300x100._CB465180664_ (1).j

Ajude o FMZ a continuar difundindo arte, cultura e resistência!

Siga o FMZ e compartilhe nosso conteúdo em suas redes sociais:

  • Facebook ícone social
  • Instagram
  • Twitter
  • Tumblr ícone social
  • Pinterest
  • YouTube
  • Spotify ícone social
  • RSS ícone social

Parceiros:

Portal Revoluta.jpg

Contribuições financeiras:

(saiba mais)

Fanzine de Niterói/RJ. Desde 2002.

© 2020 por Feira Moderna Zine.

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now